COMPOSIÇÃO

Coordenação

Zoya Alves Maia possui mestrado em Música pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2007), graduação em Música - Bacharelado pela Universidade Estácio de Sá (1997), graduação em Licenciatura Plena em Educação Artística – Habilitação em Música pelo Conservatório Brasileiro de Música (2003). Atualmente é coordenadora dos cursos de graduação do Conservatório Brasileiro de Música - Centro Universitário Brasileiro de Educação (CBM-UNICBE). Ocupa o cargo de Professor I na Prefeitura do Rio de Janeiro na Escola Municipal Campo dos Afonsos.

Justificativa

O curso de Bacharelado em Música / Composição realiza a formação de compositores e arranjadores nos diversos estilos e gêneros musicais produzidos nos séculos XX e XXI. O curso tem como fundamento um aporte teórico que abrange um arco histórico desde o período barroco até o pós-modernismo. A investigação de linguagem musical, a pesquisa de técnicas instrumentais ampliadas e a criação com recursos multimeios e tecnologias digitais de ponta são incentivadas durante toda a duração do curso. Tendo em vista que o cenário musical do último século e da primeira década e pouco do século atual apresenta grande diversidade de pensamentos e formas de expressão vigentes na nossa sociedade, com usos e valores diferenciados e, muitas vezes paradoxais, entendemos que cabe ao profissional de composição estar capacitado para produzir dentro de diversos contextos no decurso de sua vida profissional. Partindo desta premissa de capacitação para a flexibilidade, o curso de composição abarca a multiplicidade de conhecimentos próprios a cada processo de criação, sempre visando garantir a produção artística de qualidade, bem como a inserção do nosso egresso nos mercados fonográfico, audiovisual, nos circuitos de concertos e de arte-sonora etc. Com a duração de quatro anos, o curso de graduação em composição do Conservatório Brasileiro de Música está dividido em oito semestres letivos; Juntamente com aulas de composição propriamente dita, são ministradas aulas de harmonia, contraponto, fuga, orquestração, percepção, história da música, estética e análise musical. Ao longo do curso, o aluno tem também a oportunidade de trabalhar com composição de música eletroacústica, composição de música experimental, composição para meios audiovisuais tais como cinema, tevê, jingles, teatro, dança etc. Ao final de cada semestre os alunos terão produzido um mínimo de três músicas e vários estudos composicionais com instrumentação e técnicas diversificadas. As peças selecionadas pelos professores (uma ou mais de cada aluno) perfazem a programação da Mostra Semestral de Alunos de Composição, concerto público que tem como objetivo não apenas divulgar os resultados alcançados pelos discentes, como também oferecer ao formando a oportunidade de experimentar o importante trabalho de produção cultural, raramente contemplado em cursos similares de outras instituições. Contando com a supervisão acurada por parte da coordenação do curso, cada compositor-aluno é responsável pela seleção de seu(s) intérprete(s), condução dos ensaios e montagem cênico-musical do material selecionado para o espetáculo. Desse modo, estimula-se o envolvimento do aluno no ciclo total da produção cultural, desde a concepção da obra até a sua apresentação final no formato de concerto de câmara. As sociedades ocidentais sempre encontraram na música uma forma de expressar e representar suas crenças, valores, sentimentos e idiossincrasias. Entendendo-se a música como um importante produto sociocultural, verificamos a centralidade de sua inserção desde em festejos religiosos – que até hoje têm sido uma fonte de incentivo à criação musical – aos festejos de cunho popular, bem como toda uma sorte de usos e valores da música no teatro, na dança, em eventos políticos e/ou de entretenimento, na forma de concertos, shows e espetáculos diversos. A multiplicidade dos meios de produção e criação musical, assim como a diversidade de interesses específicos de cada grupo social (igrejas, rádios, eventos, concertos, shows, teatro, dança, cinema, televisão etc.), obriga o compositor a se formar e informar de maneira tão abrangente quanto profunda. Ao longo da história a criação musical ampliou-se e especializou-se para atender aos gostos e às demandas da sociedade, que como produtora viva e permanente de cultura, busca sempre a inovação e o desenvolvimento. Esta especialização pode ser constatada desde os primeiros indícios da música religiosa europeia até as tramas complexas das obras seriais, das orquestrações das óperas e da música de cinema, da produção constante de novos timbres através de meios instrumentais ou eletrônicos, da busca constante de novos recursos materiais e expressivos tais como o tonalismo, o neomodalismo, o dodecafonismo, o experimentalismo, os recursos eletroacústicos, o uso da informática e dos estúdios de gravação como ferramentas para a composição musical. O século XX ampliou a experiência sonoro-musical de forma como nunca fora feito antes: as chamadas músicas ligeiras ou populares e as folclóricas ascenderam finalmente ao patamar de excelência cultural que lhes cabia; a experiência sonora passa a receber um valor tão importante quanto a própria escuta da música, se tornando ela mesma, uma forma de escuta musical. Tais inovações foram potencializadas pelo advento da gravação e o estímulo dado pelos artistas e intelectuais do final do século XIX e do início do XX à busca de novas formas de se fazer música, com amplo investimento na investigação de linguagem musical. Hoje o complexo aprendizado da composição musical exige um conhecimento técnico altamente diversificado, um treinamento constante e especializado que demanda uma infraestrutura potente para fornecer todo o tipo de possibilidades para a experimentação dos diversos recursos atualmente utilizados para se fazer música. Em um curso superior de composição, a vivência e as experiências com essa diversidade são propiciadas a partir de um contato constante, tanto no âmbito do aprendizado formal quanto na informalidade da discussão e da criação orientada pelos diversos professores, músicos e pesquisadores da música com os quais nosso aluno trava contato durante a sua formação. Somando-se às múltiplas oportunidades de interação com profissionais mais consagrados, a grande quantidade e diversidade de experiências culturais provenientes dos próprios alunos são trocadas e vivenciadas pelos colegas, enriquecendo sobremaneira a formação individual de cada educando. No que tange à estrutura material indispensável em um curso superior de composição, entendemos ser essencial garantir aos alunos o acesso a uma orquestra de câmara e a formações instrumentais diversas que possibilitem a execução das composições dos discentes. Para contemplar a experimentação de novos recursos e possibilidades composicionais, a infraestrutura do curso também inclui um estúdio de som que funciona como um laboratório pleno de possibilidades experimentais, propiciando ainda ao aluno a experiência de gravar seus próprios estudos e composições. Para a pesquisa e a construção de conhecimento teórico-conceitual em música, estimula-se o acesso a gravações (em áudio e vídeo), livros, teses, dissertações, revistas e periódicos especializados em biblioteca com um acervo abrangente, diversificado e atualizado.

Processo Seletivo

Nesta forma de ingresso, o candidato fará as provas estabelecidas, constantes do Edital. Para se inscrever, o candidato deverá ter concluído o Ensino Médio (ou equivalente). A inscrição pode ser feita pela internet (www.cbmmusica.edu.br) ou na sede do CBM-UniCBE. A comprovação de conclusão do ensino médio deverá, obrigatoriamente, ser apresentada no ato da matrícula, juntamente com o Contrato de Prestação de Serviços Educacionais, devidamente assinado.

Transferências

Passagem do vínculo do estudante regular de uma Instituição de Ensino para o CBM-UniCBE, com a finalidade de prosseguimento de estudos no mesmo curso de origem. O interessado deverá acessar o site do CBM-UniCBE (www.cbmmusica.edu.br), em Downloads, Edital, Transferência Externa, e verificar a solicitação da documentação necessária para deferimento da transferência. Aguardar o deferimento, pelo Coordenador do Curso, que ocorrerá após estudo curricular, obedecendo-se ao controle de vagas por curso. No ato da matrícula, o candidato deverá assinar o Contrato de Prestação de Serviços Educacionais.

Obs.: O processo de transferência entre IES está sujeito à análise da documentação apresentada, nos termos da legislação e das normas vigentes.

Transferência para outras instituições de Ensino Superior

Passagem do vínculo do estudante regular do CBM-UniCBE para outra Instituição de Ensino Superior, com a finalidade de prosseguimento de estudos no mesmo curso de origem. O aluno deverá preencher requerimento na secretaria do CBM-UniCBE, solicitando o histórico e conteúdo programático das disciplinas cursadas.

Ao solicitar a documentação necessária, o aluno deverá trancar sua matrícula automaticamente, para não caracterizar abandono de curso. A solicitação de Transferência Externa para outra IES não exime o aluno da responsabilidade pelo pagamento das mensalidades vencidas até o dia da solicitação.

Transferência Interna

Passagem do vínculo do estudante regularmente matriculado de um curso para outro dentro do CBM-UniCBE, respeitando o prazo de integralização curricular. O aluno deverá preencher requerimento na secretaria do CBM-UniCBE, solicitando a transferência e análise curricular, sujeita a aprovação da coordenação, podendo ou não o aluno ser submetido a provas de adequação ao novo curso pleiteado.

O Ensino Médio Completo é pré-requisito para o ingresso no curso

Duração

4 anos

Investimentos

Consulte os preços na Central de Matrículas pelo telefone (21) 3478-7600.

Local da Oferta

Avenida Graça Aranha, nº. 57, 12º andar, Castelo, Rio de Janeiro, RJ.

Referência: Metrô - Estação Cinelândia, Theatro Municipal do Rio de Janeiro, Biblioteca Nacional, FUNART, Ministério do Trabalho e Vale.

Turnos

Manhã e Noite

Documentação

Cópias de:

  • Carteira de Identidade;
  • Cadastro de Pessoa Física (CPF);
  • Certidão de Registro Civil (nascimento, casamento, separação judicial ou divórcio);
  • Diploma de curso superior de graduação (ou de curso equivalente);
  • Histórico Acadêmico de curso superior de graduação;
  • Título de Eleitor;
  • Comprovação de Situação Militar (se for o caso);
  • Comprovante de Residência;
  • 1 foto 3x4 (recente);

Observação: O(a) candidato(a) deverá apresentar a documentação, obrigatoriamente, no ato da matrícula.

Considerações Finais

  1. Vagas limitadas.
  2. A realização do curso está sujeita à quantidade mínima de matrículas.