PRODUÇÃO CULTURAL

Coordenação

Zoya Alves Maia possui mestrado em Música pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2007), graduação em Música - Bacharelado pela Universidade Estácio de Sá (1997), graduação em Licenciatura Plena em Educação Artística – Habilitação em Música pelo Conservatório Brasileiro de Música (2003). Atualmente é coordenadora dos cursos de graduação do Conservatório Brasileiro de Música - Centro Universitário Brasileiro de Educação (CBM-UNICBE). Ocupa o cargo de Professor I na Prefeitura do Rio de Janeiro na Escola Municipal Campo dos Afonsos.

Objetivos Gerais:

O curso visa a formação de profissionais que compreendam a cultura como uma construção coletiva. Assim, o Curso de Superior de Tecnologia em Produção Cultural tem como objetivo geral formar produtores culturais, capazes de desenvolver ações que propiciem a produção, distribuição e consumo de bens culturais e artísticos.

Objetivos Específicos:

  • Oferecer consistente substrato teórico e empírico que oriente o processo de produção das diversas linguagens artísticas e de outros bens culturais, no sentido de desenvolver ações de gerenciamento dos mesmos;
  • Habilitar profissionais que valorizem a diversidade cultural como elemento transformador da sociedade, integrando-a à educação;
  • Capacitar o produtor cultural para o planejamento e a administração de bens e produtos artístico-culturais nos setores público e privado, levando em consideração processos de sustentabilidade da cultura a partir da sua dimensão econômica;
  • Propiciar conhecimentos teórico-práticos em Produção Cultural que o habilite a trabalhar na elaboração e gestão de políticas públicas para a cultura, visando à democratização dos bens artístico-culturais e a sua auto sustentabilidade.

Justificativa

Muitas questões justificam e legitimam a necessidade da criação do Curso de Superior de Tecnologia em Produção Cultural no Conservatório Brasileiro de Música - Centro Universitário Brasileiro de Educação. Questões da sociedade como um todo e questões próprias da instituição de ensino. O CBM-CeU, vem desde sua criação em 1936, participando ativamente da produção cultural da cidade de diversas formas com cursos voltados a performance musical de diversos instrumentos e canto, a composição e a regência. No entanto, a gestão das carreiras dos profissionais que se formam, tanto quanto a própria produção dos diversos projetos culturais que a instituição se insere, carecem de um trabalho específico de um profissional que conheça profundamente as questões da arte e as implicações que envolvam sua gestão e difusão. Quanto a questões da sociedade como um todo podemos levantar algumas questões principais. Em primeiro lugar, historicamente registrou-se, na sociedade brasileira, dificuldade para elaboração e, consolidação de políticas públicas para a cultura. Soma-se a isso a compreensão da pluralidade cultural como conhecimento e valorização das características étnicas e culturais dos diferentes grupos sociais que convivem no território nacional e da consequente necessidade de valorização da diversidade cultural. Assim, necessário se faz, um olhar meticuloso e crítico para pensar as questões e trabalhar como agenciador da cultura. A princípio, a formação desses agentes da cultura (produtores culturais), se deu via conhecimento prático, não sistematizado. Até então, profissionais com qualquer formação acadêmica ou mesmo sem formação acadêmica atuavam como produtores culturais. No entanto, o século XXI com suas demandas na área cultural, a realização de conferências nacionais de cultura (2005-2010), a Declaração Universal da Diversidade Cultural (UNESCO, 2002), e a convenção sobre a promoção e a proteção da Diversidade das Expressões Culturais (UNESCO, 2005) e ratificada no Brasil por meio de Decreto Legislativo 485/2006, mostra a necessidades de profissionalização de atores nesse campo. Isso, inclusive está expresso no plano nacional da cultura PCN (LEI n343, de 2 de dezembro de 2010), nos quais um dos seus objetivos é “XII - profissionalizar e especializar os agentes e gestores culturais”. A produção cultural, então, precisando ser analisada e pensada de forma crítica em toda a complexidade em que o campo se abria ao profissional, legitimou a urgência de construção dos cursos de superior de tecnologia na área. Além disso, observando a partir de uma perspectiva econômica da cultura, a sociedade brasileira reconhece e associa, com facilidade, as logomarcas do poder público e de muitas empresas privadas, ao patrocínio de peças teatrais e de grupos de teatro, de produção cinematográfica, de espetáculos de dança, de exposições de arte, de shows de música e concertos, entre outros. Figuram-se nesse elenco, por exemplo, o Ministério da Cultura, o Ministério de Minas e Energia, as secretarias de cultura dos estados e municípios, ONGS, as prefeituras, as empresas públicas e particulares como a Petrobrás, Coca-Cola, TIM, etc. Entende-se então que essas empresas estejam propiciando ao público a aquisição de bens para, além do consumo imediato, o envolvimento com o conhecimento e com a educação de forma lúdica, por meios de estratégias apropriadas para à expressão, à expansão das possibilidades e potencialidades humanas imaginativas e corporais, à apreciação, à contemplação, enfim, ao exercício da sensibilidade e da cidadania. Em vista disso, faz-se necessário que haja profissionais capazes de desempenhar o papel de produtores de tais empreendimentos, uma vez que esses estão ligados e destinados a verbas públicas, e incentivos fiscais, que por tanto devem ser tratados diligentemente e empregados como fonte para um desenvolvimento social coerente aos propósitos de um estado democrático. É importante observar ainda, que o município do Rio de Janeiro, representa uma referência no país no que diz respeito à agenda cultural. Devemos lembrar que esta cidade atrai uma expressiva quantidade de turistas, anualmente, vindas de outros Estados e de diversos lugares do mundo que buscam encontrar atrações culturais e de entretenimento durante todo o tempo de permanência na cidade. Com esse cenário as empresas de turismo também podem se figurar como potenciais fontes de emprego para o produtor cultural. Consideramos finalmente, que toda essa demanda tem levado as empresas públicas e privadas a reconhecerem a necessidade de contratar profissionais com conhecimento teórico e aptos cultural e tecnicamente para lidar com a complexidade dos projetos culturais de sua pauta. Ciente da situação e de sua responsabilidade com a produção e difusão da arte na cidade, o Conservatório Brasileiro de Música- Centro Universitário, empreendeu esforços para a oferta e implementação do curso de Superior de Tecnologia em Produção Cultural. Respondendo a tendência de expansão das políticas públicas voltadas para o desenvolvimento cultural e social do país, a crescente necessidade de profissionalização dos gestores de produção cultural e a necessidade premente dentro de seu próprio organismo de trazer profissionais qualificados a gerir e produzir seus próprios projetos, enquanto artistas.

Processo Seletivo

Nesta forma de ingresso, o candidato fará as provas estabelecidas, constantes do Edital. Para se inscrever, o candidato deverá ter concluído o Ensino Médio (ou equivalente). A inscrição pode ser feita pela internet (www.cbmmusica.edu.br) ou na sede do CBM-UniCBE. A comprovação de conclusão do ensino médio deverá, obrigatoriamente, ser apresentada no ato da matrícula, juntamente com o Contrato de Prestação de Serviços Educacionais, devidamente assinado.

Transferências

Passagem do vínculo do estudante regular de uma Instituição de Ensino para o CBM-UniCBE, com a finalidade de prosseguimento de estudos no mesmo curso de origem. O interessado deverá acessar o site do CBM-UniCBE (www.cbmmusica.edu.br), em Downloads, Edital, Transferência Externa, e verificar a solicitação da documentação necessária para deferimento da transferência. Aguardar o deferimento, pelo Coordenador do Curso, que ocorrerá após estudo curricular, obedecendo-se ao controle de vagas por curso. No ato da matrícula, o candidato deverá assinar o Contrato de Prestação de Serviços Educacionais.

Obs.: O processo de transferência entre IES está sujeito à análise da documentação apresentada, nos termos da legislação e das normas vigentes.

Transferência para outras instituições de Ensino Superior

Passagem do vínculo do estudante regular do CBM-UniCBE para outra Instituição de Ensino Superior, com a finalidade de prosseguimento de estudos no mesmo curso de origem. O aluno deverá preencher requerimento na secretaria do CBM-UniCBE, solicitando o histórico e conteúdo programático das disciplinas cursadas.

Ao solicitar a documentação necessária, o aluno deverá trancar sua matrícula automaticamente, para não caracterizar abandono de curso. A solicitação de Transferência Externa para outra IES não exime o aluno da responsabilidade pelo pagamento das mensalidades vencidas até o dia da solicitação.

Transferência Interna

Passagem do vínculo do estudante regularmente matriculado de um curso para outro dentro do CBM-UniCBE, respeitando o prazo de integralização curricular. O aluno deverá preencher requerimento na secretaria do CBM-UniCBE, solicitando a transferência e análise curricular, sujeita a aprovação da coordenação, podendo ou não o aluno ser submetido a provas de adequação ao novo curso pleiteado.

O Ensino Médio Completo é pré-requisito para o ingresso no curso

Duração

4 anos

Investimentos

Consulte os preços na Central de Matrículas pelo telefone (21) 3478-7600.

Local da Oferta

Avenida Graça Aranha, nº. 57, 12º andar, Castelo, Rio de Janeiro, RJ.

Referência: Metrô - Estação Cinelândia, Theatro Municipal do Rio de Janeiro, Biblioteca Nacional, FUNART, Ministério do Trabalho e Vale.

Turnos

Manhã e Noite

Documentação

Cópias de:

  • Carteira de Identidade;
  • Cadastro de Pessoa Física (CPF);
  • Certidão de Registro Civil (nascimento, casamento, separação judicial ou divórcio);
  • Diploma de curso superior de graduação (ou de curso equivalente);
  • Histórico Acadêmico de curso superior de graduação;
  • Título de Eleitor;
  • Comprovação de Situação Militar (se for o caso);
  • Comprovante de Residência;
  • 1 foto 3x4 (recente);

Observação: O(a) candidato(a) deverá apresentar a documentação, obrigatoriamente, no ato da matrícula.

Considerações Finais

  1. Vagas limitadas.
  2. A realização do curso está sujeita à quantidade mínima de matrículas.